Governos e entidades recorrem ao PicPay para distribuir benefícios

Em meio à crise da pandemia de Covid-19, os três níveis de governo e entidades de apoio à sociedade estão buscando formas de fazer com que benefícios e doações cheguem de forma eficiente, rápida e segura às mãos dos cidadãos em vulnerabilidade social. Nesse grupo, encontram-se estudantes da rede pública, sem acesso à merenda escolar durante o isolamento, e moradores de comunidades, com recursos cada vez mais escassos para compra de alimentos e produtos de limpeza enquanto se estender a quarentena.

A solução encontrada por alguns governos e organizações para distribuição desses benefícios é o repasse por meio de aplicativos de pagamentos à distância, como o PicPay, maior carteira digital brasileira. Por essa ferramenta, o dinheiro é recebido automaticamente pelo celular, mediante cadastro prévio do CPF do beneficiário no app. Não é preciso ter conta bancária.

Nesse sentido, o Governo do Estado de São Paulo anunciou, no dia 8 de abril, que o Programa Merenda em Casa vai oferecer R$ 55 por mês, por meio do PicPay, para mais de 700 mil estudantes cujas famílias recebem o Bolsa Família, bem como aqueles que vivem em situação de extrema pobreza, segundo o Cadastro Único do Governo Federal.

As carteiras digitais também têm se mostrado uma forma eficaz e prática de conectar pessoas a causas. Por meio da criação de uma central de doações, o PicPay tem arrecadado doações entre seus mais de 18 milhões de usuários para a Central Única das Favelas (CUFA). A organização visa arrecadar fundos para o programa Mães da Favela, em prol das moradoras das comunidades. Pelo aplicativo, serão distribuídas bolsas de R$ 120 para, inicialmente, 5 mil mães de 12 Estados brasileiros. “Queremos também fomentar o comércio nas favelas”, conta Celso Athayde, fundador da CUFA.

Com o dinheiro em suas carteiras digitais, os beneficiários poderão realizar compras em estabelecimentos comerciais, sacar o dinheiro nos terminais do Banco24Horas ou fazer transferências para suas contas bancárias – tudo sem cobrança de taxas. Pelo aplicativo, os pagamentos são feitos à distância, sem contato físico, método muito importante para assegurar a saúde pública durante a pandemia.

“O PicPay é um meio facilitador para que benefícios e doações cheguem a quem necessita, sejam pessoas, entidades ou ONGs. Também estamos à disposição e preparados para apoiar quaisquer modelos de programas que envolvam distribuição de recursos financeiros, vinculados ou não aos órgãos governamentais. É nossa responsabilidade social promover a democratização e a inclusão financeira e temos observado o impacto positivo dessas iniciativas na vida de muita gente”, explica Gueitiro Genso, CEO da empresa.